Reprodução Reprodução

Se você está lendo esta matéria em um computador, a chance de estar usando o sistema Windows, desenvolvido pelo norte-americano Bill Gates, é de quase 90%, segundo os dados de participação de mercado da Microsoft, empresa que pertence ao bilionário.

Mas o homem que hoje é conhecido em todo o planeta como o gigante da tecnologia acaba de conquistar um novo título: o de rei das fazendas nos Estados Unidos. De acordo com a revista Forbes, Bill Gates estaria comprando cerca de 97.933 hectares nos EUA, tornando-se o maior proprietário privado de terras agrícolas do país.

Quando alguém com a visão de negócio e o histórico de inovação de Bill Gates investe em um bem como esse, fica muito claro que a terra para a produção de alimentos é um ativo tão ou mais importante que a tecnologia para o futuro do planeta, se é que ainda existia alguma dúvida sobre isso.

Com uma fortuna avaliada em US$ 121 bilhões, o que faz dele o quarto homem mais rico do planeta, o empresário teria terras em 18 dos 50 estados norte-americanos. Segundo a Forbes, as maiores propriedades de Gates estão na Louisiana (28 mil hectares), Arkansas (19 mil hectares) e Nebraska (8,3 mil hectares). Além disso, ele tem participação em 10,4 mil hectares no Arizona.

Pesquisa da revista The Land Report mostra que a posse de Gates sobre essas terras se dá por meio de terceiros e da Cascade Investiments, empresa de investimentos do bilionário, que também é dona da empresa de segurança alimentar Ecolab.

Infelizmente, o The Land Report não conseguiu informações sobre o que está sendo produzido nessas terras, ou mesmo se elas já estão sendo usadas para a produção de alimentos. Porém, desde 2008, a Fundação Bill e Melinda Gates vem tentando estimular agricultura sustentável de alto rendimento em outros países. O objetivo é, segundo a Forbes, desenvolver safras resistentes às mudanças climáticas e vacas leiteiras com maior rendimento.

Dados levantados pela empresa brasileira Nilo Imóveis, apontam que no Brasil,  a SLC Agrícola detém o título, com  581 mil hectares. O Grupo Bom Futuro, que pertence a Eraí Maggi, tem 530 mil hectares. Completando o pódio brasileiro, está o grupo Amaggi, com 258 mil hectares.