Foto: Leidianne Ferreira/Arquivo PessoalFoto: Leidianne Ferreira/Arquivo Pessoal

A sobrinha do prefeito reeleito de Vila Rica, Abmael Borges, foi encontrada morta, na terça-feira (22), no apartamento do ex-namorado, em São Francisco, no estado da Califórnia, Estados Unidos. Lídia Lúcia Ferreira Borges, de 28 anos, morava no exterior há dois anos e meio e trabalhava com limpeza de residências por aplicativo.

Em entrevista à Eldorado FM, o prefeito de Vila Rica lamentou a morte da jovem. Segundo ele, Lídia era uma menina muito simpática e cheia de sonhos. O prefeito também contou que a sobrinha sempre visitava a família em Vila Rica. O pai dela, um pecuarista conhecido na região Norte Araguaia, mora na cidade.

A polícia americana também localizou o corpo do ex-namorado de Lídia no mesmo local. A suspeita, conforme o boletim de ocorrência, é de que ele possa ter matado a jovem e se suicidado em seguida.

De acordo com informações do portal G1, uma amiga que morava com a jovem há um ano e preferiu não ser identificada relatou que ela saiu para trabalhar e não voltou. Preocupada, chamou a polícia e passou informações sobre o trabalho que foi fazer. Em buscas pela cidade, os policiais encontraram o carro da goiana estacionado em frente ao prédio onde o ex-namorado morava.

A amiga chegou a conhecer o brasileiro que Lídia namorou e disse que ele aparentava ser uma pessoa tranquila, porém, quando a goiana terminou o relacionamento, há sete meses, o homem, que não teve a identidade divulgada, começou a perseguir a vítima e ligar insistindo para reatar o relacionamento.

"Ele ficou obcecado por ela. Mas, em nenhum momento, demonstrou agressividade e não fez ameaças contra ela. Mesmo assim, nós a aconselhamos a prestar queixa contra ele, por causa das perseguições. Ela achou que não precisava no momento", conta.

A polícia de São Francisco continua a investigar o caso, segundo a mulher.

De acordo com informações do prefeito Abmael, a documentação necessária para fazer o traslado do corpo da jovem para o Brasil está sendo providenciada. O sepultamento deve ocorrer em Caldas Novas, no sul de Goiás, onde a família de Lídia mora há mais de 20 anos.